Perito em Computação, por onde começar?

Perito em Computação, por onde começar?

Introdução

Assuntos relacionados a investigações, fraudes bancárias, golpes virtuais e invasões de computadores são cada vez mais frequentes, tanto na internet como nos jornais e noticiários. Sendo assim, a procura por peritos que saibam rastrear crimes cibernéticos se torna cada vez maior.

Mas, antes de continuar lendo preciso reforçar que este artigo, não tem a intenção de desencorajá-lo¹, apenas, apresentar a verdade que muitos cursos omitem, em meu ponto de vista!

Noutro dia no grupo de Telegram me chamou a atenção quando um integrante do grupo disse:

Gosto da computação forense, mas não sei por onde começar!

Em consequência disso, decidi elaborar este artigo para guiar a futuros peritos, mas de forma consciente.

O que é um Perito?

Segundo o dicionário Michaelis:

Que ou aquele que se especializou em determinado ramo de atividade ou assunto.

Existem N profissões que você pode ser um perito, sendo algumas delas:

  • Perito medico;
  • Perito fiscal;
  • Perito contábil;
  • Perito Software;
  • Perito Imagens;
  • Etc.

Na computação, isso também é possível, é o que chamamos de Perito em Computação.

O que preciso para ser um Perito?

Antes de responder, preciso dizer, ou melhor, trazer a seguinte analogia:

Os profissionais de segurança da informação vêm de muitos caminhos diferentes. Há algumas carreiras que um profissional ou recém-formado pode considerar: desde as mais gerais, incluindo especialistas de suporte, técnicos de TI, help desk, infraestrutura, administradores de rede e sistemas até programadores de computador ou bancos de dados e analistas de dados. Em geral, é importante obter um bom conhecimento geral dos sistemas primeiro, de modo a estar pronto para protegê-los de forma eficiente

Essa analogia é fantástica, para o Perito em Computação Forense, já que tenho percebido nos cursos que já participei, workshops, documentação, blogs, vídeos entre outros que omitem., acredito que por finalidade capitalista.

Para ser um Perito em Computação Forense, você precisa estar apto a entender de forma complexa como os computadores (hardware) e os sistemas operacionais (software) funcionam. Perito não é um apertador de botão, ele precisa entender desde o inicio como funciona o computador, como liga, como funciona o boot, tabela de partição, inicialização do sistema, alocação de memória, processos pai e filhos, entrada e saída de dados, registros, e por ai vai. Perito, também precisa estudar muito, ler, saber inglês, e claro, perceber nos detalhes o que precisa ser revelado.

Quais habilidades preciso ter?

Aqui é a pergunta de ouro! Não existe uma receita de bolo para responder, posso dizer que existem algumas coisas que vão ajudar no sucesso de um Perito Computacional, sendo eles:

  • Curso superior em Tecnologia da Informação ou áreas afins;
  • Amplo conhecimento em Sistemas Operacionais e Hardware;
  • Entender sobre arquitetura de sistemas operacionais;
  • Apto a estudar com frequência para a diversidade;
  • Pensar fora da caixa;
  • Aprender técnicas investigativas;
  • Raciocínio Lógico;
  • Entender as leis brasileiras relacionadas a crimes digitais;
  • Ter excelente comunicação verbal e escrita;
  • Saber conversar em público;
  • Persistência;
  • Objetividade;
  • Ética;
  • “Sangue frio” (sim, você vai investigar crimes, incluindo pedofilia).

Acredito que a melhor forma de aperfeiçoar é estudar e “brincar” de Perito com amigos, fazendo os desafios forense e novamente, estudar!

Certificações em Computação Forense.

As principais certificações relacionado a computação forense são:

  • CEH (Certified Ethical Hacker).
  • CHFI (Certified Hacker Forensic Investigator).
  • EnCE (EnCase Certified Examiner), do fabricante Guidance .
  • ACE (AccessData Certified Examiner), do fabricante AccessDat.
  • CCFT (Certified Computer Forensic Technical).
  • GIAC (Global Information Assurance Certification), da SANS.
  • ACFEI (American College of Forensic Examiners Institute).

Onde atua o Perito?

São diversas áreas que o Perito em Computação Forense pode atuar, sendo elas:

Perito Criminal

Para se tornar um perito criminal, o profissional precisa ingressar na carreira pública como policial civil ou federal para realizar investigações, produzir laudos e supervisionar perícias juntamente com os órgãos competentes.

Perito Judicial

O especialista é nomeado pelo juiz para atuar em algum processo. É um cargo de confiança e geralmente trabalha como profissional liberal.

Assistente Técnico Judicial


O profissional atua junto a um advogado ou perito judicial e oferece a assessoria técnica e científica do caso, por meio de investigações, análises e produções de laudos.

Perito Extrajudicial, Investigador, Consultor

O trabalho geralmente é solicitado pela área corporativa para a investigação de fraudes internas. A Computação Forense tem muito a contribuir com as corporações policiais, com o judiciário e as empresas. O perito precisa ser especializado e ter capacidade de se basear em evidências para explicar como o crime em alguma mídia digital aconteceu e provar isso juridicamente.

Conclusão

Ser um perito não é coisa fácil, se você esta com vontade de ser um perito por que o mercado ta em ascensão, tenha cuidado, pode se decepcionar. Reflita, tente você mesmo fazer algumas técnicas forense antes de encarar um curso profissionalizante.

Referências

Dicionário Michaelis.

Seginfo

IPOG

Academia Digital

¹ Agradeço ao Nick Bethencourt, pelo erro informado.

About The Author

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *